Patrimônio Histórico

Publicada: 18/09/2019 08:13

 

O IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural)  através da equipe técnica da CEPA (Coordenação de Educação Patrimonial) atendeu solicitação da Secretaria de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer de Conde e durante os dias 04 e 05 de Abril esteve nossa cidade para uma visita de diagnóstico de bens do nosso Patrimônio Material do Município que estavam indicados e catalogados no IPAC desde da década de 30 com mérito para Tombamento enquanto Patrimônio Estadual. Assim estavam indicados a Igreja Nossa Senhora do Monte, a Igreja Nossa Senhora da Conceição, o Casarão da Fazenda Cangorito e a Fazenda de Engenho do Rio Branco.

Nesse sentido, para dar continuidade aos tramites para um Tombamento como Patrimônio definitivo é necessária uma ação socioeducativa de sensibilização e conscientização dos valores culturais que permeiam tais Bens Materiais do nosso Patrimônio Artístico e Cultual. Pois, o Tombamento definitivo é uma ação sincronizada das Comunidades específicas, dos proprietários, da sociedade junto com as autarquias que certificam e homologam os processos de tombamento.

Um tombamento garante e formaliza a preservação e conservação de um bem tido pela população de determinada localidade como de relevância histórica e cultural. Além de proporcionar uma ação de valorização da identidade local, pode agregar políticas públicas que dão apoio administrativo e jurídico aos bens materiais e imateriais.

No decorrer desta visita técnica e através de pesquisas emergiram outros possíveis bens materiais e imateriais existentes em nosso município e que tem mérito de serem avaliados por equipes específicas para o tombamento, como por exemplo, as Comunidades Quilombolas da Pedra Grande e do Buri que tem Certificação de Comunidade Afrodescendente da Fundação Cultural dos Palmares.